Alegrias, Diabetes, Superação

Sei que muitas pessoas que passam por aqui já acompanham também o blog da Nicole e da Vivi mas para quem não conhece ainda, li um texto emocionante hoje, de um pai de um menino diabético, que vale muuuuuuuito a pena! Incrível ler o seu nome e o do seu filho ser citado por pessoas que você não conhece, principalmente como sendo uma referencia de força e exemplo….além de estarmos fazendo diferença na vida de nossos filhos, estamos fazendo parte da vida de muitas outras pessoas… que alegria!

Segue abaixo um trecho do texto, mas o post completo vocês podem ler AQUI.

“Prezada Nicole, venho a algum tempo acompanhando o seu blog mas nunca postei nenhum comentário.  Quando descobri o seu blog fiquei tão impressionado que fui retornando as postagens mais antigas e li desde a primeira.  Através do seu blog também passei a acompanhar o da Sarah e Igor, Joana e Guilherme, Jujuba diabética, e mais recentemente o vida doce como mel e doce dia-dia.

Essa relutância em escrever algo se deve ao fato de eu ser PAI de um menino DM1 e não MÃE.  É estranho como eu não vejo nenhum comentário feito por pais apenas por mães. Será que todas as crianças doces são órfãos de pai? Porque será que os pais não se envolvem tanto quanto as mães?

Mas vamos lá:

Sou pai de um menino hoje com 12 anos que foi diagnosticado como DM1 um ano e meio atrás.  Apesar de ele estar na época fazendo 11anos e ser um menino tranqüilo e responsável foi muito difícil o recebimento da notícia, e olha que não passamos por nenhum momento muito traumático, pois ele não precisou ficar internado, minha mulher (que é a mãe dele) é nutricionista, o endócrino dele é um grande amigo meu etc…

Mesmo assim fomos ao fundo do poço, mas no fundo mesmo.  Eu particularmente me afundei geral.  Minha mulher segurou uma barra danada, mas tudo passou.

Seu blog e o da Sarah e Joana, foram de grande importância nessa minha superação, pois como era possível mães de filhos bem menores que o meu, que passaram por internações hospitalares, que tinham que administrar a pouca idade de seus filhos, as escolas, as festas infantis, as atividades físicas inesperadas e tudo o mais e ainda conseguiam manter a serenidade, a alegria e a vontade de escrever suas experiências em prol de tentar ajudar outras pessoas?…..”

Leiam, inspirem-se, emocionem-se….

A diabetes não chegou aqui em casa como uma doença, mas como uma oportunidade de aprendermos alguma coisa….. e estamos fazendo o melhor para que o Gui pense o mesmo. Que ele precisa de alguns cuidados a mais, porém é exatamente igual a todo mundo! E tenho certeza que muito feliz que muita gente por aí que não tem nenhum obstáculo para superar.

Obrigada Ni, por dividir este texto com a gente…

Força, alegria, amor, VIDA, sempre.

Bjos

Dia a Dia, Saúde, Superação

Santa vacina!

Das fotos que eu publiquei no primiero dia, não apareceu NENHUMA pinta nova! Nada de bolhas gigantes…nem de coceira insurpotável. Passamos pela catapora sem traumas, quase sem perceber. Nada de alteração na glicemia (tirando sexta-feira que esqueci de aplicar de manhã e meu pai lembrou às 11h da manhã….corrigimos na hora do almoço e pronto, tudo normal).

Ontem ele até foi passear um pouquinho com o pai, já que depois que vira casquinha, não tem mais perigo de passar pra ninguém. Vou falar com a peadiatra só pra confirmar, mas imagino que amanhã já volte à escola. E tenho que fazer os exames periódicos dele, só não sei ainda se já podemos fazer tão próximo de uma infecção, mas confirmo amanhã também.

Estamos aqui, curtindo um domingo de bodinho em casa, vendo jogo de futebol…ele agora pegou mais gosto, acho que tem visto gente torcendo com mais vontade e se animou….só espero que não mude de time!!!

E lá vamos nós…

Força sempre, bjos!

Hipoglicemia, Saúde, Superação

Para quem estava esperando que os números fossem subir por causa da infecção, hoje foi um dia de susto…..mais para meu pai que foi quem estava com ele, pois quando me ligou já estava tudo bem. Na verdade eu pedi para ele me escrever contando como tinha sido, para ter a emoção no texto, mas ainda não deu tempo…vou tentar reproduzir, ok?

Ele acordou tarde, às 9h, com 90 mg/dl, e acabou o café da manhã (leite + bisnaguinha com polenguinho + melão) umas 9:30h.

Ficaram brincando no quarto, nada muito agitado e estavam brincando de contar…quando o Gui estava contando até 80, disse que estava meio cansado, que queria deitar porque já tinha contado muito. Isso era por volta de meio dia, não tinha lanchado nada, mas só tinha passado 2:30h do café….

Vieram para a sala e ele foi deitando no sofá, dizendo que precisava dormir e meu pai foi falar com ele e percebeu que os olhos dele não estavam mais fixando nele….desorientado….correu para pegar um suco normal, antes mesmo de medir e o Gui tomou. Medição: 41mg/dl! Voltou rápido….a voz do meu pai contando isso por telefone era de um alívio misturado com medo. Dei graças a Deus por ter sido em casa….e lógico que, como boa mãe que se culpa por não estar em casa com o filho, eu queria ter estado junto com os dois….

Medição do lanche: 80 mg/dl

Medição do jantar: 153 mg/dl (lógico que não dei Novorapid…controlei a quantidade de CHO e pronto). Não quis arriscar….

A catapora?!?!? Igual ontem, nenhuma mancha nova, nenhuma bolha, já tem casquinha….acho que a vacina realmente ajuda. Na escola dele, uns 5 tiveram, então fiquem de olho no criançada por aí!

Força, sempre, beijos.

Alimentação, Aniversário, Dia a Dia, Diabetes, Emocional, Saúde, Superação, Vitórias

Passa tão rápido que até pulei o quarto mês…rs..

Acho que o principal nesses últimos 2 meses, foi perder o receio em aplicar a Novorapid, porque finalmente estamos entendendo que ela realmente é uma aliada aos diabéticos, permitindo que comam com uma liberdade maior. Lógico, controle sempre, mas já me recuso a deixá-lo passar vontade, apesar dele já entender muito que não pode comer açúcar, e que a comida dele é Diet!
Outro dia ele chorou no lanche da manhã querendo bisnaguinha, que normalmente não come nesse horário, mas pelo amor, chorar por comida não! Comeu e pronto. Se ficar alto na hora do almoço, corrigimos depois…E nem precisou, esperou um pouco mais para almoçar.

Semana passada começou com o “primo” do Sucrilhos, o Corn Flakes, e um leite novo (Ades Zero), bem mais leve no quesito carboidrato. A pediatra disse que o Ades é o melhor em quantidade de cálcio, então vamos manter mesmo.

Ontem teve o tal mingau…quando eu abri a lata da Farinha Láctea, o menino suspirou com o cheiro!! Tem coisa melhor?! Duas horas depois disse que estava com fome…eu sabia que estaria um pouco alto (209mg/dl), mas ok, pensei em dar uma segurada, mas ele insistiu que estava com fome, fazer o que?!… Apliquei uma dose de Novorapid e ele comeu um sanduiche de pão integral com frios, e o suco.

Resumindo: continuamos aprendendo todos os dias. O que funciona em um dia, não acontece igual no outro, mas isso acontece comigo também, sem diabetes! Um dia tenho mais fome do que outro, um dia o almoço cai melhor do que outro, um dia quero jantar comida, outro só leite….nenhum dia é igual ao outro, PARA NINGUÉM!!!

Continuo recebendo várias mensagens pelo contato aqui do blog, de mães contando suas histórias, uma troca incrível! Continuem, ok?!

Ah, e o bom dia para o vovô Celio continua especial!!!

Bom, os 5 meses de diabetes vocês já conhecem, e o Gui com 5 meses?!?!?! MARAVILHOSO!!!

Força e beijos para todos!

Começo, Diabetes, Superação

Essa semana foi meio caos, acabei sumindo, né? Minha garganta resolveu dar show de horror, estou no anti-biotico, anti-inflamatório, uma delicia…..aqui em casa é assim, a gente alterna!!! rsrsrs

Lembram que outro dia fomos na praça aqui perto de casa conhecer a Isadora e seus pais, Vanessa e Leo? Então, recebi esses dias o depoimento da Vanessa, contando sobre o primeiro mês de diabetes. As coisas vão se acertando…..

O depoimento está aqui.

Amanhã é feriado, ainda estou vendo o que faremos por aqui, ou se vamos viajar…vou contando, prometo!

Força, beijos.

Dia a Dia, Hiperglicemia, Saúde, Superação

Eu já disse que não aguentava mais cuidar de gripe, né?? Pois é…..cuidado com o que se fala, porque as coisas realmente podem mudar, e nem sempre são para melhores…

Depois de 3 semanas cuidando de gripe, alergia, tosse pesada, o Gui ainda estava com o peito cheio, tossindo muito, meio “caído”, parecendo sem forças. A respiração dele está difícil. Os números altos….

Desde ontem, por indicação da pediatra, estamos tratando de uma pneumonia atípica, que não provoca febre, nem altera a escuta pulmonar…..uma pneumonia por Micoplasma.…primária ou não, o nome pneumonia sempre assusta, e a primeira coisa que veio na minha cabeça ontem foi HOSPITAL.

Fiquei meio esquisita o resto da tarde, só de pensar na possibilidade de nova internação. Tô cansada, e não é do diabetes, porque graças a Deus, estamos indo bem, sem grandes sustos. Tô cansada de vê-lo tendo coisas diferentes o tempo todo, mas, criança é assim mesmo, né?!

Ele vai ficar pelo menos 2 dias em casa, sem escola e até sábado tomando o remédio, que tem sacarose (o comprimido é muito grande). Como os números deles já estavam altos pela infecção, hoje volto a dar 4 un de NPH de manhã, para dar uma segurada e quando as coisas voltarem ao normal, voltamos para 3un. Em 3 dias precisa estar melhor, senão falamos com a médica de novo.

Continuem mandando os pensamentos positivos, recebemos todos!!!!

Força, de verdade……beijos.

Começo, Dia a Dia, Hiperglicemia, Superação

Eu sei, para os mais “veteranos” em diabetes, já é super normal aplicar Novorapid todo dia, mas aqui em casa ainda não. Eu já estou me acostumando com isso, mas meu pai ainda não…..sinto que ele sofre com a possibilidade da “Lua de Mel” estar chegando ao fim, com o fato dos números já não estarem assim, uma Brastemp, e por ser ele que está com o Gui na hora do almoço e no jantar, sobra para eles as principais medições, e consequentemente, as tais aplicações de Novorapid.

Hoje o Gui teve fono de manhã e o lanche atrasou, foi às 11h e não às 10h como de costume. E além do yogurt comeu uma maçã também…medição antes do almoço (12:30h) = 223 mg/dl. Meu pai me ligou querendo atrasar a entrada na escola, querendo segurar até um pouco mais tarde…..não deixei, porque já aprendi que não é pra prorrogar um número alto, sem necessidade. Senti que ele estava preocupada depois do episódio de ontem e sugeri que aplicasse uma única dose, e não duas como seria o certo. Medição na escola, às 15h = 142 mg/dl, ou seja, de dia podemos usar a tabela normal….

Lógico que o lanche d escola foi um pouco mais reforçado, já com medo de queda brusca, e a chegada em casa foi de 230mg/dl. Dessa vez meu pai não me ligou…rsrs. Optou por dar banho no Gui antes do jantar e meia hora depois estava com 170 mg/dl. Ponto pra ele, aplicou apenas uma dose de Novorapid e a última medição agora deu 98 mg/dl. Ótimo, leite e fatia de bolinho e já está sonhando aqui do meu lado…..é isso, um dia de cada vez.

Hoje eu recebi um E-mail através do contato aqui do site, de uma mãe “nova” de diabetes, da filha de 5 anos. Estamos trocando E-mail, e se ela concordar, conto a história aqui depois, porque acho muito válido essa nossa troca de informação…..Fiquei na verdade um pouco espantada com a repercussão do blog, e quanto esse espaço pode ajudar outras pessoas, mesmo que seja apenas para mostrar que não estamos sozinhas.

Força pessoal, um dia de cada vez, ok? Beijos.

Alegrias, Dia a Dia, Emocional, Superação, Vitórias

Hoje teve novidade!!! Além de ter ido buscar o Gui na escola, porque meu pai foi buscar minha mãe no trabalho, fizemos coisas novas!!!

Aproveitando que ele ficou muuuuuito feliz em me ver no portão, já que foi a segunda vez, chegamos em casa e fiz uma lista de tudo que tínhamos que fazer, porque ontem quase esqueci de colocar o remédio no ouvido:

  • Fazer xixi,
  • Lavar a Mão
  • Medir dedinho
  • Banho (de nooooovo mãe?!?!?)
  • Brincar
  • Tomar o suquinho de laranja (remédio expectorante)
  • Remedio no ouvido
  • Remedio no nariz
  • Ver TV, se der tempo
  • Medir dedinho
  • Insulina
  • Leite
  • DORMIR (como se fosse possível esquecer disso….)

Foi divertido, cada coisa que ele fazia, vinha perguntar “onde eu risco mamãe”?!

Bom, depois do banho, ele estava me falando que na escola tem 2 amigos que sempre ficam perto dele quando ele vai medir o dedo. E começou a conversa: “Devem ter orgulho de ter um amigo tão corajoso filho….mãe, eu queria mostrar a canetinha para eles, mas não posso tirar a roupa na escola, porque eu faço no bumbum ou na perna. Ainda tenho medo de fazer no braço…”

Seguindo uma dica da Nicole, que no inicio da diabetes da filha se furou inteira para saber onde doía menos e ensinou a Vivi que deviam fazer em outros lugares, falei super animada: VOU FAZER NO MEU BRAÇO!! “De verdade, mãe??” Sim filho, mas sem apertar a insulina, só colocar a agulha! Tá bom, eu sou o médico que cuida de você….

Quando fui montando a caneta, ele fechou a cara. Disse que não era para eu fazer “porque eu não quero que você sinta dor”. Socorro, como faz para não chorar na cara da criança?!?!? Eu disse que não ia doer, porque se ele era corajoso e deixava eu aplicar todo dia, ele podia fazer uma vez em mim que não teria problema… Eu fiz a pinça no braço e ele colocou. Confesso que fiquei com medo de sentir qualquer coisa e fazer uma cara feia na hora, mas não doeu nada, de verdade! Daí o bichinho se animou e saiu furando meu braço, barriga, foi engraçado. Ele me olhou com uma cara de “você é minha heroína”, mil abraços e foi continuar cumprindo a lista: TV!

Somos companheiros, em tudo!!!!!

Fotinho do jantar, só para mostrar que ele come feijão e abobrinha, além de panqueca, quem sabe anima a criançada por ai!!!

Vou dormir feliz.

Força, beijos.

Alimentação, Dia a Dia, Emocional, Superação

Só porque hoje eu escrevi que estava tudo bem, que o Gui já estava adaptado, veio a novidade, um desabafo com o avô…

Teve festinha na escola (nem quis comer doce, comeu só parte do lanche dele, porque a medição deu 162, e completou com um risoles) e ele trouxe de lembrancinha um pirulito de chocolate, em forma de meia bola de futebol, PINTADA DE VERDE E AMARELO!!! Quis comer, mas meu pai pediu que ele me esperasse, para saber se podia, que não era sempre que dava pra comer chocolate, e tal….e daí veio a resposta: “eu preferia quando não precisava medir o dedinho toda hora, nem fazer a canetinha e eu podia comer de tudo!!” Não preciso dizer que meu pai ficou em pedaços, né?? Explicou que era assim mesmo, que ele não era o único que fazia essas coisas….

Cheguei bem na hora que ele estava acabando de comer a gelatina de sobremesa, parei na frente dele e disse: querido, mesmo que você não tivesse diabetes, eu não deixaria você comer um chocolate pintado de verde e amarelo, prefiro que coma chocolate de verdade. Quer uma bolacha de chocolate (Bono)?? QUERO!!! Mas quero duas, mãe…OK!

A glicemia agora deu 198, não é baixo, mas sem stress: tomou leite só antes de dormir e pronto, amanhã é outro dia.

Pode ser radical da minha parte, mas eu juro que prefiro dar algo que sei de onde vem, do que umas bombas sem rotulo, com mil corantes! E não é de agora, eu não dava antes. E não acho que ele seja menos feliz por causa disso…acho que extravasou um sentimento em uma hora que se viu limitado pela diabetes, porque não tinha reclamado nesse sentido até hoje. Não acho que foi a primeira, nem a última vez, mas vamos contornando como dá.

Já contei do encontro que teremos no domingo, e ele ficou super animado: vou conhecer mais amigos com diabetes?!?! Sim filho, você não está sozinho….NUNCA.

Força, beijos.

Aniversário, Dia a Dia, Diabetes, Emocional, Superação, Vitórias

Eu esqueci de comentar sobre isso no dia certo (19 de maio), mas não queria deixar passar em branco, acho importante comentar o que mudou desde o primeiro dia da descoberta até hoje.

Continuo pesquisando e lendo sobre o assunto diariamente, mas com menos medo do que eu lia no começo. Nos primeiros dias, eu achava que por mais forte que eu aparentasse ser, não conseguiria dar conta, sem me deixar levar pela tristeza que as aplicações de insulina causavam. Eu fiquei forte sim, pelo Gui, pelos meus pais, porque eu PRECISAVA ser forte para dar apoio à todo mundo, não me permiti ficar descontrolada. Chorei sim, no banheiro, quando o Gui demorava para deixar que aplicássemos, e depois, com o olho inchado, vinha me abraçar dizendo que me amava….mas isso passou (calma, ele continua me amando!!)!! O que eu tinha, não era medo da diabetes em si, era medo de algo que eu não conhecia!

Hoje, estamos mais fortes, sem fazer força para isso, porque por mais que eu ainda tenha muito para aprender, por mais mudança que ainda teremos na rotina, tudo que eu já sei sobre diabetes me deixa tranquila, com a certeza de que as coisas se acertam, e não temos um bicho de 7 cabeças em casa. Sim, os números ainda vão mudar, mas o Gui já se acostumou com a rotina diária, é como escovar os dentes, fazer xixi antes de dormir, precisa medir o dedinho e fazer a canetinha!

A alimentação dele (e minha também) melhorou 100%. Nosso café da manhã está melhor, os lanches estão melhor, não tenho mais preguiça de preparar as coisas (não cozinho porque não gosto, mas curto arrumar as coisas dele). Além disso, ele não fica pedindo mil coisas que não pode. Ontem eu comprei um pacote de bolacha Bono (chocolate), porque EU estava com vontade e dei uma de sobremesa para ele. Não pediu mais, agradeceu e pronto. E a glicemia ficou normal.

Não é fácil, porque por mais tranquilo e controlado que esteja, não podemos esquecer de nada, nenhum um dia. O estado de alerta é constante. Quando meu telefone toca às 15:15h, horário do lanche dele, meu coração quase pára, pensando que pode ter tido uma hipo….mas ele está bem. Ele brinca muito, corre muito, ri muito….está feliz. Isso para mim é o que importa, que ele seja uma criança feliz e que aprenda a se cuidar, aprenda a conviver com essa rotina para ficar cada vez mais solto…mas até lá, estou aqui, do lado dele, sempre!

Ontem, lendo o blog do Igor, 8 anos e diabético há 10 meses, li um post que reflete MUITO o meu sentimento também, e tomei a liberdade de citar um trecho e se quiserem ver o texto completo está AQUI:

“Eu não controlo o diabetes do meu filho, só por a ser mãe dele.
Eu controlo porque o AMO!
Controlar o diabetes não é opcional é prova de amor.
Assim como desejamos um futuro brilhante para nossos filhos também devemos desejar um futuro sem sequelas, exatamente na mesma proporção.”

E aqui vai uma fotinho dele com 3 meses (Sarah, gostei mesmo do post, viu?!?!? rsrsrsr)

É isso. E vamos continuar aqui, com MUITA FORÇA, SEMPRE!!!

Beijos