Aniversário, Dia a Dia, Diabetes, Emocional, Superação, Vitórias

3 meses de Diabetes

Eu esqueci de comentar sobre isso no dia certo (19 de maio), mas não queria deixar passar em branco, acho importante comentar o que mudou desde o primeiro dia da descoberta até hoje.

Continuo pesquisando e lendo sobre o assunto diariamente, mas com menos medo do que eu lia no começo. Nos primeiros dias, eu achava que por mais forte que eu aparentasse ser, não conseguiria dar conta, sem me deixar levar pela tristeza que as aplicações de insulina causavam. Eu fiquei forte sim, pelo Gui, pelos meus pais, porque eu PRECISAVA ser forte para dar apoio à todo mundo, não me permiti ficar descontrolada. Chorei sim, no banheiro, quando o Gui demorava para deixar que aplicássemos, e depois, com o olho inchado, vinha me abraçar dizendo que me amava….mas isso passou (calma, ele continua me amando!!)!! O que eu tinha, não era medo da diabetes em si, era medo de algo que eu não conhecia!

Hoje, estamos mais fortes, sem fazer força para isso, porque por mais que eu ainda tenha muito para aprender, por mais mudança que ainda teremos na rotina, tudo que eu já sei sobre diabetes me deixa tranquila, com a certeza de que as coisas se acertam, e não temos um bicho de 7 cabeças em casa. Sim, os números ainda vão mudar, mas o Gui já se acostumou com a rotina diária, é como escovar os dentes, fazer xixi antes de dormir, precisa medir o dedinho e fazer a canetinha!

A alimentação dele (e minha também) melhorou 100%. Nosso café da manhã está melhor, os lanches estão melhor, não tenho mais preguiça de preparar as coisas (não cozinho porque não gosto, mas curto arrumar as coisas dele). Além disso, ele não fica pedindo mil coisas que não pode. Ontem eu comprei um pacote de bolacha Bono (chocolate), porque EU estava com vontade e dei uma de sobremesa para ele. Não pediu mais, agradeceu e pronto. E a glicemia ficou normal.

Não é fácil, porque por mais tranquilo e controlado que esteja, não podemos esquecer de nada, nenhum um dia. O estado de alerta é constante. Quando meu telefone toca às 15:15h, horário do lanche dele, meu coração quase pára, pensando que pode ter tido uma hipo….mas ele está bem. Ele brinca muito, corre muito, ri muito….está feliz. Isso para mim é o que importa, que ele seja uma criança feliz e que aprenda a se cuidar, aprenda a conviver com essa rotina para ficar cada vez mais solto…mas até lá, estou aqui, do lado dele, sempre!

Ontem, lendo o blog do Igor, 8 anos e diabético há 10 meses, li um post que reflete MUITO o meu sentimento também, e tomei a liberdade de citar um trecho e se quiserem ver o texto completo está AQUI:

“Eu não controlo o diabetes do meu filho, só por a ser mãe dele.
Eu controlo porque o AMO!
Controlar o diabetes não é opcional é prova de amor.
Assim como desejamos um futuro brilhante para nossos filhos também devemos desejar um futuro sem sequelas, exatamente na mesma proporção.”

E aqui vai uma fotinho dele com 3 meses (Sarah, gostei mesmo do post, viu?!?!? rsrsrsr)

É isso. E vamos continuar aqui, com MUITA FORÇA, SEMPRE!!!

Beijos

One Comment

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *