Dia a Dia, Emocional

Desde a descoberta da diabetes, este será o primeiro final de semana prolongado que passarei longe dele….de hoje até terça.

Ficará dois dias com meus pais e dois dias com o pai dele…..Certeza que vai dar tudo certo, ele voltou a ficar mais controlado, sem grandes picos. A linhaça está dando certo pessoal: meia colher de sopa no almoço e meia colher no jantar. Compramos a linhaça dourada, já moída, e ele não tem notado diferença nenhuma no feijão. Ufa.

Bom, mas voltando ao feriado…..a gente fica numa cobrança muito pesada em cima de nós mesmas, de que não podemos sair de perto pois vão precisar da gente para tudo…mas de verdade, não me sinto mais culpada em dividir essa responsabilidade, principalmente com o pai dele. E meus pais entram no pacote mesmo, não tem jeito, moramos no mesmo condomínio, é o mais natural…

Hoje de manhã ele veio me trazer no trabalho e pediu que eu fosse atrás com ele, ficamos grudados….lógico que dá um aperto, mas eu sei que preciso de um tempinho pra mim, até mesmo para conseguir passar alegria para ele….. Ele disse que vai ficar com saudade, mas combinamos que se quisermos lembrar do outro, basta fechar os olhos e colocar a mão no peito…estaremos ali…

E telefone existe para isso também, vai?? Matar saudade!

Fotinhos novas que andou tirando na casa dos avós paternos….

Com o primo querido e que tem uma paciência….

Com o Vovô Tetê!

Que todos tenham um ótimo final de semana, que dê tudo certo, que ele se divirta (e eu também!)!

Novidades na volta.

Força, sempre! Beijos

Alegrias, Dia a Dia, Emocional, Saúde

O susto passou….ele está meio gripado, nariz entupido, com os números um pouco mais altos do que o normal, mas nada demais….

E para recompensar a “coragem” de voltar ao cinema, depois de tanto tempo, me empolguei ontem e dei um brinquedo que ele queria….Mamae, não vou mais precisar pedir ao Papai Noel!!! E filho, será que deixei ele triste?? Não, eu peço outra coisa…ah tá.rsrsrsr

A carinha dele ontem abrindo a caixa vale qualquer pré-datado que se dê!!!

E obrigada pelos comentários, vou realmente ficar atenta ao aparelho e deixar outro de stand by….susto assim não dá, né?

Força, beijos!!!

Alegrias, Emocional, Saúde

Ontem ganhei o dia….
Cheguei na casa dos meus pais para buscar o Gui e ele disse que tinha uma surpresa para mim na nossa casa…..que eu tinha que entrar de olho fechado…o vovô que pagou, mas fui eu que escolhi!!!

Flores assim, sem data especial…adorei!

A alergia ainda está lá, os braços bem vermelhos, mas o humor dele ontem estava ótimo! Já é um começo.

Força, beijos.

Dia a Dia, Emocional

Bom, ainda chegando mais tarde em casa e sem forças para escrever…

Essa semana foi meio chatinha no que diz respeito ao emocional e humor do Gui, o que acaba afetando os números também…Não lembro se comentei que ele ficou 3 finais de semana sem ver o pai, porque o Leo estava mega ocupado com eventos da empresa, então viu bem menos do que o normal. E o Gui sentiu. Apesar de ser super fechado, com jeitinho consigo que ele converse e desabafe algumas coisas…

Um dia ele passou algumas horas do sabado no evento do pai, e chegou em casa dormindo, ou seja, não conseguiu dar tchau…acordou triste e ficou assim até o dia seguinte. Eu sabia o que era, mas ele não quis falar, mas passou o domingo meio irritado, respondão, até eu sentar com ele e perguntar:
– o que você tem? porque está nervoso desse jeito??
– Não quero falar….
– Por quê não?
– Porque não quero que você fique triste…
– Gui, por favor, você pode falar qualquer coisa comigo, principalmente o que está sentindo. Se eu não souber, como posso te ajudar?
– To triste porque não dei tchau para o papai, porque ele está me vendo só no dia que tem trabalho e não estou dormindo com ele…
Nó na garganta à parte, expliquei a questão do trabalho, que logo voltaria tudo ao normal e ele voltaria a vê-lo a cada 15 dias, e no dia da semana que ele pudesse….e que eu não ficava triste por ele ter saudade, é normal já que ele não mora mais aqui….Ele me abraçou, voltamos a desenhar e ficou mais animado. Prometi que ligaria para o pai quando ele quisesse.

Bom, e depois desse tempo todo, quarta foi a primeira noite que o Léo veio pegá-lo para passar umas horas. Chegou de bom humor, contando que foi na casa da amiga do papai com os filhos dela, mas no dia seguinte passou quase mudo. Para completar, passou a semana com uma alergia no rosto, ficou todo vermelho. Passamos uma pomada indicada pela pediatra, sarou, mas hoje ele chegou do pai todo vermelho: pernas, bumbum, braços, costas….mais um anti-alérgico para a coleção…

Passou a tarde meio dengoso, e agora no final da dia deu um show porque não queria jantar, começou a chorar, e eu pedi que ficasse no quarto dele até nos acalmarmos….Fui conversar com ele de novo, e percebemos como as crianças guardam as coisas, e como na maioria das vezes a gente não percebe que TUDO que fazemos deve ser pensado…

– O que foi filho, vamos conversar?
– Eu ainda tô com saudade do meu pai…quando ele morava aqui eu tinha menos..(é, menos, não zero saudade)
– Olha, a gente tentou namorar de novo e não deu certo, porque somos amigos só, você entende isso?
– Sim
– Não é culpa dele, nem minha, e muito menos sua…você vai continuar tendo os dois, para sempre…entende isso também?
– Sim, mas é que no outro dia que ele veio me buscar, eu não queria ter ido passear com mais gente, eu queria ter ficado só com ele na casa da vovó, porque daí eu teria ficado mais tempo com ele e a saudade passaria…
– Então explica isso para ele, tenho certeza que vai adorar saber que você prefere ficar com ele do que com outras crianças, mesmo que você adore brincar!
– Tá, vou dizer….posso comer mingau? Não quero comida….
– Pode filho, vou tomar também….

E o que isso tem a ver com diabetes??? Quando você olha os números altos sem motivo algum, fica fácil entender….Hoje em dia, tudo tem reflexo na glicemia, e é só por isso que estou escrevendo tudo isso, porque o que fazemos em nossas vidas hoje não nos interessa e nem nos afeta mais, conseguimos superar isso, mas o que fazemos ou deixamos de fazer, vai continuar PRA SEMPRE afetando o Gui…. dica, do fundo do coração…

Uma ótima semana para todos nós.
Força, beijos.

Alimentação, Aniversário, Dia a Dia, Diabetes, Emocional, Saúde, Superação, Vitórias

Passa tão rápido que até pulei o quarto mês…rs..

Acho que o principal nesses últimos 2 meses, foi perder o receio em aplicar a Novorapid, porque finalmente estamos entendendo que ela realmente é uma aliada aos diabéticos, permitindo que comam com uma liberdade maior. Lógico, controle sempre, mas já me recuso a deixá-lo passar vontade, apesar dele já entender muito que não pode comer açúcar, e que a comida dele é Diet!
Outro dia ele chorou no lanche da manhã querendo bisnaguinha, que normalmente não come nesse horário, mas pelo amor, chorar por comida não! Comeu e pronto. Se ficar alto na hora do almoço, corrigimos depois…E nem precisou, esperou um pouco mais para almoçar.

Semana passada começou com o “primo” do Sucrilhos, o Corn Flakes, e um leite novo (Ades Zero), bem mais leve no quesito carboidrato. A pediatra disse que o Ades é o melhor em quantidade de cálcio, então vamos manter mesmo.

Ontem teve o tal mingau…quando eu abri a lata da Farinha Láctea, o menino suspirou com o cheiro!! Tem coisa melhor?! Duas horas depois disse que estava com fome…eu sabia que estaria um pouco alto (209mg/dl), mas ok, pensei em dar uma segurada, mas ele insistiu que estava com fome, fazer o que?!… Apliquei uma dose de Novorapid e ele comeu um sanduiche de pão integral com frios, e o suco.

Resumindo: continuamos aprendendo todos os dias. O que funciona em um dia, não acontece igual no outro, mas isso acontece comigo também, sem diabetes! Um dia tenho mais fome do que outro, um dia o almoço cai melhor do que outro, um dia quero jantar comida, outro só leite….nenhum dia é igual ao outro, PARA NINGUÉM!!!

Continuo recebendo várias mensagens pelo contato aqui do blog, de mães contando suas histórias, uma troca incrível! Continuem, ok?!

Ah, e o bom dia para o vovô Celio continua especial!!!

Bom, os 5 meses de diabetes vocês já conhecem, e o Gui com 5 meses?!?!?! MARAVILHOSO!!!

Força e beijos para todos!

Emocional, Saúde

Eu tenho lidado bem com o controle da diabetes, mas esse vai e vem de gripe do Gui me deixa muito mais cansada do que qualquer aplicação de insulina e medição de glicose…

Além de aumentar os números, é um tal de tosse a noite inteira, nariz ruim, inalação, remédio….o menino fica derrubado…..quero que chegue logo a primavera, pode ser?!

Hoje é isso…..desculpem, estou cansada.

Força, beijos.

Dia a Dia, Emocional, Hiperglicemia, Saúde

Sabe aqueles dias que não dá vontade de sair da cama, que o despertador fica na função soneca 5 vezes e você quase se atrasa? Então, hoje foi assim. A gripe tentou me pegar ontem, mas só sobrou uma voz rouca hoje de manhã… Tive conversa atravessada no msn, almoço que não desceu porque estava ruim, enfim…..estava louca para chegar em casa, mas…..

Adivinhem como o Gui acordou hoje?? Nariz ruim, tosse pesada, olho caído…. Acabou ficando em casa com meu pais.

Glicemias =  jejum: 75 mg/dl – pré-almoço: 223 mg/dl (2 doses de Novorapid) –  Lanche da tarde: 104 mg/dl – jantar: 152 mg/dl (uma dose de Novorapid) e daqui a pouco vou medir de novo, mas ele já está de leite tomado e dormindo.

Depois que ele fez inalação, quase dormindo, fui aplicar a NPH e errei. Duas vezes. Primeiro no lugar que apliquei – ele reclamou de dor, começou a chorar muito e, depois, quando apertei o botão, percebi que não tinha girado a dose da insulina. Tirei a caneta, sangue saindo e quando eu voltei com papel para limpar, já estava roxo. Bom, choramos juntos. Muito. Aproveitei para chorar o que já estava entalado há alguns dias. Pedi desculpas e ele veio me abraçar, todo lindo, fazendo que sim com a cabeça.

Bom, apliquei no bumbum, e graças aos céus, ele disse que não doeu…era só o que me faltava….

Já estamos com inalação, expectorante, remédio de nariz e vamos lá!

Amanhã é um novo dia…sábado tem festa junina na escola, dias mais animados virão.

Hoje, só quero que o dia termine bem….

Força sempre, beijos.

Alegrias, Dia a Dia, Emocional, Superação, Vitórias

Hoje teve novidade!!! Além de ter ido buscar o Gui na escola, porque meu pai foi buscar minha mãe no trabalho, fizemos coisas novas!!!

Aproveitando que ele ficou muuuuuito feliz em me ver no portão, já que foi a segunda vez, chegamos em casa e fiz uma lista de tudo que tínhamos que fazer, porque ontem quase esqueci de colocar o remédio no ouvido:

  • Fazer xixi,
  • Lavar a Mão
  • Medir dedinho
  • Banho (de nooooovo mãe?!?!?)
  • Brincar
  • Tomar o suquinho de laranja (remédio expectorante)
  • Remedio no ouvido
  • Remedio no nariz
  • Ver TV, se der tempo
  • Medir dedinho
  • Insulina
  • Leite
  • DORMIR (como se fosse possível esquecer disso….)

Foi divertido, cada coisa que ele fazia, vinha perguntar “onde eu risco mamãe”?!

Bom, depois do banho, ele estava me falando que na escola tem 2 amigos que sempre ficam perto dele quando ele vai medir o dedo. E começou a conversa: “Devem ter orgulho de ter um amigo tão corajoso filho….mãe, eu queria mostrar a canetinha para eles, mas não posso tirar a roupa na escola, porque eu faço no bumbum ou na perna. Ainda tenho medo de fazer no braço…”

Seguindo uma dica da Nicole, que no inicio da diabetes da filha se furou inteira para saber onde doía menos e ensinou a Vivi que deviam fazer em outros lugares, falei super animada: VOU FAZER NO MEU BRAÇO!! “De verdade, mãe??” Sim filho, mas sem apertar a insulina, só colocar a agulha! Tá bom, eu sou o médico que cuida de você….

Quando fui montando a caneta, ele fechou a cara. Disse que não era para eu fazer “porque eu não quero que você sinta dor”. Socorro, como faz para não chorar na cara da criança?!?!? Eu disse que não ia doer, porque se ele era corajoso e deixava eu aplicar todo dia, ele podia fazer uma vez em mim que não teria problema… Eu fiz a pinça no braço e ele colocou. Confesso que fiquei com medo de sentir qualquer coisa e fazer uma cara feia na hora, mas não doeu nada, de verdade! Daí o bichinho se animou e saiu furando meu braço, barriga, foi engraçado. Ele me olhou com uma cara de “você é minha heroína”, mil abraços e foi continuar cumprindo a lista: TV!

Somos companheiros, em tudo!!!!!

Fotinho do jantar, só para mostrar que ele come feijão e abobrinha, além de panqueca, quem sabe anima a criançada por ai!!!

Vou dormir feliz.

Força, beijos.

Alimentação, Dia a Dia, Emocional, Superação

Só porque hoje eu escrevi que estava tudo bem, que o Gui já estava adaptado, veio a novidade, um desabafo com o avô…

Teve festinha na escola (nem quis comer doce, comeu só parte do lanche dele, porque a medição deu 162, e completou com um risoles) e ele trouxe de lembrancinha um pirulito de chocolate, em forma de meia bola de futebol, PINTADA DE VERDE E AMARELO!!! Quis comer, mas meu pai pediu que ele me esperasse, para saber se podia, que não era sempre que dava pra comer chocolate, e tal….e daí veio a resposta: “eu preferia quando não precisava medir o dedinho toda hora, nem fazer a canetinha e eu podia comer de tudo!!” Não preciso dizer que meu pai ficou em pedaços, né?? Explicou que era assim mesmo, que ele não era o único que fazia essas coisas….

Cheguei bem na hora que ele estava acabando de comer a gelatina de sobremesa, parei na frente dele e disse: querido, mesmo que você não tivesse diabetes, eu não deixaria você comer um chocolate pintado de verde e amarelo, prefiro que coma chocolate de verdade. Quer uma bolacha de chocolate (Bono)?? QUERO!!! Mas quero duas, mãe…OK!

A glicemia agora deu 198, não é baixo, mas sem stress: tomou leite só antes de dormir e pronto, amanhã é outro dia.

Pode ser radical da minha parte, mas eu juro que prefiro dar algo que sei de onde vem, do que umas bombas sem rotulo, com mil corantes! E não é de agora, eu não dava antes. E não acho que ele seja menos feliz por causa disso…acho que extravasou um sentimento em uma hora que se viu limitado pela diabetes, porque não tinha reclamado nesse sentido até hoje. Não acho que foi a primeira, nem a última vez, mas vamos contornando como dá.

Já contei do encontro que teremos no domingo, e ele ficou super animado: vou conhecer mais amigos com diabetes?!?! Sim filho, você não está sozinho….NUNCA.

Força, beijos.

Aniversário, Dia a Dia, Diabetes, Emocional, Superação, Vitórias

Eu esqueci de comentar sobre isso no dia certo (19 de maio), mas não queria deixar passar em branco, acho importante comentar o que mudou desde o primeiro dia da descoberta até hoje.

Continuo pesquisando e lendo sobre o assunto diariamente, mas com menos medo do que eu lia no começo. Nos primeiros dias, eu achava que por mais forte que eu aparentasse ser, não conseguiria dar conta, sem me deixar levar pela tristeza que as aplicações de insulina causavam. Eu fiquei forte sim, pelo Gui, pelos meus pais, porque eu PRECISAVA ser forte para dar apoio à todo mundo, não me permiti ficar descontrolada. Chorei sim, no banheiro, quando o Gui demorava para deixar que aplicássemos, e depois, com o olho inchado, vinha me abraçar dizendo que me amava….mas isso passou (calma, ele continua me amando!!)!! O que eu tinha, não era medo da diabetes em si, era medo de algo que eu não conhecia!

Hoje, estamos mais fortes, sem fazer força para isso, porque por mais que eu ainda tenha muito para aprender, por mais mudança que ainda teremos na rotina, tudo que eu já sei sobre diabetes me deixa tranquila, com a certeza de que as coisas se acertam, e não temos um bicho de 7 cabeças em casa. Sim, os números ainda vão mudar, mas o Gui já se acostumou com a rotina diária, é como escovar os dentes, fazer xixi antes de dormir, precisa medir o dedinho e fazer a canetinha!

A alimentação dele (e minha também) melhorou 100%. Nosso café da manhã está melhor, os lanches estão melhor, não tenho mais preguiça de preparar as coisas (não cozinho porque não gosto, mas curto arrumar as coisas dele). Além disso, ele não fica pedindo mil coisas que não pode. Ontem eu comprei um pacote de bolacha Bono (chocolate), porque EU estava com vontade e dei uma de sobremesa para ele. Não pediu mais, agradeceu e pronto. E a glicemia ficou normal.

Não é fácil, porque por mais tranquilo e controlado que esteja, não podemos esquecer de nada, nenhum um dia. O estado de alerta é constante. Quando meu telefone toca às 15:15h, horário do lanche dele, meu coração quase pára, pensando que pode ter tido uma hipo….mas ele está bem. Ele brinca muito, corre muito, ri muito….está feliz. Isso para mim é o que importa, que ele seja uma criança feliz e que aprenda a se cuidar, aprenda a conviver com essa rotina para ficar cada vez mais solto…mas até lá, estou aqui, do lado dele, sempre!

Ontem, lendo o blog do Igor, 8 anos e diabético há 10 meses, li um post que reflete MUITO o meu sentimento também, e tomei a liberdade de citar um trecho e se quiserem ver o texto completo está AQUI:

“Eu não controlo o diabetes do meu filho, só por a ser mãe dele.
Eu controlo porque o AMO!
Controlar o diabetes não é opcional é prova de amor.
Assim como desejamos um futuro brilhante para nossos filhos também devemos desejar um futuro sem sequelas, exatamente na mesma proporção.”

E aqui vai uma fotinho dele com 3 meses (Sarah, gostei mesmo do post, viu?!?!? rsrsrsr)

É isso. E vamos continuar aqui, com MUITA FORÇA, SEMPRE!!!

Beijos