Emocional

Como vai ser depois?!

Essa semana eu parei pra pensar em até quanto o que ensinamos para nossos filhos quando crianças, é levado em consideração quando eles crescem… profundo, né? Pois é…. já explico o motivo.
Claro que isso não é preocupação exclusiva de “mães doces”, mas como é o meu caso….

Na agência onde trabalho descobri um colega diabético tipo 1 desde os 12… tem 20 e poucos hoje. Descobri por acaso, quando falamos de tomar choque em tomada, e ele comentou que está acostumado porque de tanto furar o dedo, toma choque sempre! Depois de alguns almoços, perguntei sobre rotina, se ele media o dedo no restaurante ou antes de sair da agencia, mas daí me contou que é um péssimo exemplo porque só mede de manhã e à noite. Aplica as insulinas diariamente, até na volta do almoço…. mas que controla menos do que deveria. Quando era criança fazia tudo certinho, mas depois dos 18 relaxou…tem o metabolismo acelerado, então a tendencia é sempre ter números mais baixos, faz esportes….

Não estou aqui julgando ninguém, cada um é responsável pela própria vida…. até brinquei dizendo que traria o Gui na agencia para dar um jeito nele, mas fiquei pensando se isso vai acontecer com o Gui também…. Será que quando eu não tiver mais “controle” sobre ele, vai se cuidar menos? Ou esses anos de diferença do diagnóstico da doença (de 5 para 12) serão suficientes para que ele absorva melhor essa rotina toda na vida adulta? Será que nada do que eu estou fazendo agora vai adiantar na adolescência?!

Sei lá, sentimento esquisito. Coincidencia, ou não, me peguei mais grudada no Gui esses dias, querendo ficar com ele no colo, como se isso fosse prolongar o tempo em que eu posso cuidar dele …. mas eu sei que ele está crescendo, que já quer ficar mais tempo jogando bola do que no meu colo, e eu amo essa nova fase também….não quero filho dependente de mim, juro…. ai que dificil!

É isso. essa semana estamos assim.

Força, bjos

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *