Escola

Lidando com provocações….

Eu lembro bem da sensação ruim que sentia cada vez que me chamavam de girafa na escola, ou de Olivia Palito, principalmente se era da turma do menino que eu gostava (sempre era)…. crianças sempre foram cruéis com apelidos, provocações, não é de hoje… Sobrevivi, feliz, e hoje sou eu quem faz piada dos meus 8km de pescoço. E ser magra hoje está longe de ser um problema.
Continue Reading

Aniversário

Impressionante como passou rápido. Não vou mentir dizendo que parece ontem….. parece muito mais tempo, mas isso não significa que esqueci como foi o inicio…. o dia do diagnostico e os primeiros momentos com essa nossa nova rotina….
Só que hoje não estou afim de falar desse começo, até porque os posts antigos já expressam muito bem como foi aquela época….

Fazendo um balanço desse ano, só tenho motivos para agradecer…. Lógico, existe sim um controle diário de tudo, a gente nunca mais fica 100% despreocupada com ele, principalmente quando está longe, mas eu acho que a maioria das mães, “doces” ou não, já se sentem assim, então não vou me sentir especial ou diferente por nada disso….

Olhando fotos do Gui na época do diagnostico, fiquei espantada de ver como ele estava magro e não percebemos…. Ele está MUITO mais saudável hoje do que há 1 ano/ 1 ano e meio atrás…

As fotos abaixo não deixam dúvida, se compararem com as últimas que tenho postado, concordam?!

5 dias antes do diagnóstico e internação

UTI

15 dias depois que saímos do hospital

Continuamos aprendendo todo dia uma novidade, ou nos adaptando ao organismo dele que vai mudando enquanto cresce, mas ele está bem, é feliz, é carinhoso, engraçado, come de tudo, faz malcriação, briga para não tomar banho, faz drama quando eu saio para trabalhar e me recebe com um super abraço quando chego, implica com alguns amigos da escola, fala sempre de outros, acredita em papai noel, torce para o Palmeiras, gosta de videogame, adora jogar xadrez, prefere brincar com bonecos pequenos do que jogar futebol, adora sorvete ….. e mede glicemia, recebe insulina e toma suco light… ta vendo, a maior parte do tempo ele faz coisas que toda criança faz. Não posso reclamar. Mesmo.

O que eu espero para este novo ano?
– Que as pessoas que estão ao redor dele se esforcem sempre para entenderem isso: ele é igual era antes, na verdade acho que melhor, só que precisa de um pouco mais de atenção com horarios, medições e alimentação mais saúdavel….
– Que as pessoas tenham mais informação sobre essa tal diabetes, e parem de se referir às “crianças doces” como coitadas, porque isso não ajuda! Além de ser uma mentira, lógico!
– Que os hospitais publicos tenham mais pessoas com condição de fazer um diagnotico correto de diabetes e dar o apoio que a familia precisa neste momento, porque nosso chão cai de verdade no inicio….

E que eu continue tendo força, mesmo quando erro a aplicação e ele segura o choro para não me deixar mal….. diz que doeu, mas me abraça e diz que não tem problema.

Obrigada pelo apoio que recebi este tempo todo, de amigos e desconhecidos…. esse espaço aqui realmente é uma terapia e uma super fonte de informação e apoio.

E não dá pra deixar de agradecer o maior anjo da guarda das nossas vidas….. meu pai, que passa quase o dia todo com ele, fazendo tudo o que precisa para ele ficar bem!! E a minha mãe, que passa nervoso todos os dias com medo de hipo, mas está tentando ser mais corajosa!!!

Dezembro/2010

Força, sempre, pra sempre!!
BJos

Hospital

Bom, ainda bem que o Gui anda mais forte do que eu, e a virose dele passou mais leve e mais rápido….depois de ontem a noite não vomitou de novo, mas foi uma madrugada de monitoramento total: como ele não jantou, a taxa de glicemia poderia baixar durante a noite, mas deu tudo certo. Ele ficou no soro a noite toda, tomou um remedio para febre, mediram a taxa de glicose e tudo sob controle…ele dormiu como um anjo e eu acordei a cada 2h!! Antes eu do que ele…rsrs

Passou a manhã bem, comeu um pouco menos, mas tudo bem…

Ah, não lembro se falei, mas antes de entrarmos aqui no hospital, o Gui teve uma otite no ouvido direito, e desde que entramos na UTI os médicos continuaram cuidando super bem. Hoje o Otorrino pediu um Raio X dos seios da face, para comparar com o de 2 meses atrás, e pediu para ver os exames de audiometria que fizemos nele há dois meses…isso para saber se teremos que colocar um tubinho no ouvido dele para acabar com esse monte de otite que ele tem, mas nem queropensar nisso agora!!!

Novidades do dia:

– Apliquei a insulina pela primeira vez…ok ok sem traumas, mas até saber o quanto enfiar a agulha, dá um certo desconforto;
– O querido vovô Célio fez pela primeira vez o exame de dextro (para medir taxa de glicose), e segundo as palavras do Gui “fez direitinho”!!
– Se tudo der certo vamos embora amanhã!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!


Sobre nossas novas melhores amigas, as canetas de insulina, são duas: uma para todos os dias, de manhã e a noite e outra para “emergências”, quando a taxa de insulina sobe demais durante o dia.

A cinza é a diária e a azul é a emergencial:


O outro aliado importante é o medidor de glicose (glicosímetro), e será esse aí:

Tudo isso vai precisar de refil: insulina, fita reagente, lancetas…e temos direito ao tratamento gratuito custeado pelo governo, através de uma carteirinha do SUS, que já foi feita para ele. Acontece que tem uma fila de 14 pessoas na nossa frente, ou seja, compramos o primeiro kit completo, de tudo, para ficarmos “tranquilos” até conseguirmos entrar no programa. Detalhe: eu só posso pedir no posto de saúde do lado de casa….

Falei para ele hoje que amanhã devemos ir para casa e ele mandou essa: “Eba…então a gente vai pegar toooodas as nossas coisas que estão aqui (imaginem o caos do quarto), levar tudo para nossa casa e vai ficar tuuuuudo no lugar, mamãe”.

Sim Gui, vai ficar tuuuuuudo no lugar!

Força, beijos.

Hospital

Hoje ele abusou um pouco na brincadeira da tarde, e ficou mais “devagar” agora a noite…mais cansado, com a glicose meio abaixo do novo normal dele: 87. Tudo bem, vamos acertar a dose, pq deixar de brincar não é uma opção, talvez só neste inicio….

Toda a coragem de dar o dedo para o enfermeiro ontem foi para algum lugar que não achamos ainda….regredimos e o medo/pânico e resistência à agulha voltou. Isso desgasta mais do que qualquer noite mal dormida, porque ter que segurar seu filho a força, dizendo que aquilo é para o bem dele, por mais forte que eu tente ser, é de deixar o peito apertado. E o menino é tão bom que me abraça chorando em seguida, como que querendo dizer: eu sei que me ama, MESMO fazendo isso…. Ainda vai entender que faço isso JUSTAMENTE porque o amo, e quero fazer tudo direito para evitar crise novamente.

Sim, menos alegre essa noite, e mais sensível pela TDM (não é mais Pré…).

Ah, pra terminar mais leve, recebi essa foto dos meus sobrinhos queridos, em um recado para o Gui. Amamos muito vocês também!

Força, beijos